Selvageríntimo – Fernando Jaepelt

R$34,00

2x de R$17,00 sem juros

O primeiro livro de Fernando Jaepelt, traz já em seu título esse estranhamento que vai aparecer em seus textos, selvagens e íntimos.

"engulo estrelas fervendo/ passo dias vomitando luzes"

Os poemas estão divididos em seis partes — ou seis diferentes ângulos do abismo, como define o autor. É um livro sobre palavras que se unem e ficam mais estranhas, assim como as pessoas quando se unem.

Do texto de apresentação do poeta e historiador Bruno Gaudêncio:

"Selvageríntimo é um destes livros iluminados que percorrem os trágicos delírios do cotidiano coletivo. O leitor de cara capta uma dicção potente e vibrante amparada em uma composição sintética, feita de cortes precisos e fragmentários.

"O poeta vai colecionando fissuras do seu mundo interior/exterior, expressadas através de densas camadas de significação.

"Fernando Jaepelt possui uma rica capacidade de compor e recompor palavras, presente inclusive no próprio título desta coletânea inaugural. Termos como aracnonírico, enlouquecéu, ilumilevam, entre outros tantas, acabam por ressignificar o seu método íntimo de interpretação do mundo."

Este é o primeiro livro do autor (Instagram @caionopoema), que é natural de Pernambuco, cresceu em Santa Catarina e não sabe onde vai morrer.

Ilustração de capa: Nestor Jr.

  Adquirir e-book:
 
  • KINDLE (e-reader e apps Kindle)
   
 
  • GOOGLE LIVROS (app Play Livros e PDF)
   
 
  • KOBO (e-reader, apps Kobo, online e epub)
   
   

Um dos poemas do livro:

transtorno melódico-depressivo

sábado à noite
baladas bares e avenidas
começam a entrar em erupção
ruídos ao vento desenham unicórnios
penetram meus fones de ouvido
Radiohead se quebra em alegrias alheias


sábado segundo Sinatra
a noite mais solitária da semana
concordo enquanto meu corpo
evapora em átomos dementes
estou em todos os cantos
sou o tremor de lábios derretidos
o suor saltando entre virilhas
o letreiro piscando sobre o motel
sou a língua esmagada pelo vazio
do instante em que as luzes se apagam.